quarta-feira, 25 de março de 2009

Currículos dos Integrantes


Lara de Bittencourt
Bacharel em Artes Cênicas – Interpretação Teatral (2003) e Direção Teatral (2005) pela Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, RS. Iniciou sua trajetória teatral em 1999, ingressando no Curso de Artes Cênicas da UFSM. Desde o princípio travou sua investigação pessoal que iria determinar suas principais linhas de pesquisa até os dias de hoje. São elas: A Linguagem Clownesca que iniciou no projeto “O Tau do Claun”, orientado pela Profº. Ms. Rozane Silva Cardozo pela UFSM, tendo como prática a Feira das Profissões, Santa Maria, RS, (1999-2005), intervenções, gags e em espetáculos como: Amor Perfeito Amor, baseado em Sonho de Uma Noite de Verão (2004), de William Shakespeare.
Sua outra linha de pesquisa pessoal está voltada para “o trabalho do ator sobre si mesmo” orientada pela Profº Dra. Nair D’Agostini, importante pesquisadora da obra do diretor russo K. Stanislaviski (Método das Ações Físicas/2ª fase), esta fundamentação sob o trabalho d atriz criou subsídio para as pesquisas realizadas no decorrer de sua trajetória. Como em montagens de espetáculos pelo Teu Studio I: A Lição, (1999) de Eugène Ionesco, os dois trabalhos sob orientação presente de Nair D’Agostini. A Intrusa, (2004), pesquisa voltada para a atmosfera simbolista da obra de Maurice Maeterlinck. O monólogo Dolores, inspirado na obra “Rubens” de Luis Fernando Veríssimo (2003). Lucia, Pedro, Laura..., espetáculo de dança-teatro, (2004). Jato de Sangue (2005), baseado no texto homônimo de Antonin Artaud; entre outros espetáculos que constituem sua formação cênica.
Aprofundando suas duas linhas de pesquisa participou como fundadora, atriz, diretora e criadora de espetáculos teatrais pela Cia. Mínima de Teatro. A Cia. nasce no ano de 2003, com uma proposta de pesquisa a respeito da Linguagem Clownesca, através do espetáculo Didi e Gogo que depois veio a denominar-se Godot, o qual atuou e dirigiu. Espetáculo criado a partir da obra de Samuel Beckett, apresentado no Brasil e no Uruguai no Décimo Encuentro de Teatro Del Interior regional Norte (2005), realizado na cidade de Rivera. A Cia. dá continuação a sua pesquisa sobre o texto Esperando Godot, voltando-se para o público infantil, com o codinome de Sr. Godot. E ainda, baseado na mesma obra, atuou no espetáculo Borogodô!, espetáculo de rua agraciado com o Prêmio Miriam Muniz, da FUNARTE/PETROBRÁS (2006), que também participou do SESC/RS (2007). Ainda pela Cia. Mínima e Teu Studio I, como continuação de suas investigações desenvolveu na sua pesquisa final de graduação o monólogo Macabéa, inspirado em A Hora da Estrela, de Clarice Lispector (2003). Como diretora, pela Cia. Mínima de Teatro e TEU Studio I, obteve o espetáculo Não Conte a Ninguém (2006), criação de dramaturgia a partir de poemas de Mário Quintana e Maurício Schneider.
Dando continuação a sua investigação pessoal referente ao “trabalho do ator sobre si mesmo” participou como atriz da Trupe Pólvora com o espetáculo Na Carne (2007), adaptação de Navalha na Carne de Plínio Marcos, direção de Dionatan Rosa. E Álbum de Família, de Nelson Rodrigues, direção de Dionatan Rosa (2007), criado a partir dos elementos do expressionismo.
E também pelo Coletivo Erêndira participou como atriz do espetáculo “Erêndira”, da obra A incrível e triste história de Cândida Erêndira e sua avó desalmada, de Gabriel Garcia Márquez, pesquisa voltada para a estética do Realismo Fantástico, direção Cláudia Schulz (2008). O espetáculo participou do 1° Festival Internacional de Teatro de Dourados (2008).
Sua pesquisa como diretora se deu da mesma maneira, voltando “o trabalho do ator para si mesmo”, com a orientação e condução do diretor. Nos espetáculos Esta Propriedade Está Condenada, da obra de Tennessee Williams, montagem TEU Studio I (2002). A Feiticeira, da obra de Anton P Tchekhov, montagem Luzarte Escola de Atores (2007), As Alegres Meninas da Rua Quinze, da obra de Carlos Carvalho, montagem Oficina Permanente de Teatro (2008).
Teve como aperfeiçoamento em suas linhas de pesquisa os cursos Aprendiz de Clown II, ministrado por Ana Elvira Wuo, (2002); Improvisação para atores através da linguagem do Clown, ministrado por Luciano Bortoluzzi, (2003); Máscara Neutra, ministrado por Inês Marocco, (2003); Atuação em Cinema, ministrado por Flávio Bauraqui, (2007);
Análise Ativa, ministrado por Nair D’agostini (2008) Jogo com Máscara,
ministrado por Luana Michelotti(2008);
Atuou como professora de teatro no CCI (Centro de Comunicação e Integração de crianças e adolescentes), projeto da prefeitura de Santa Maria-RS, (2005). Escola de Atores Luzarte, (2006-2007). Oficina Permanente de Teatro, no Espaço Cultural Victorio Faccin – TUI (2007-2008). Studio de Arte Fernando Serpa, (2008). Cia de Dança Alessandra Londero, (2008).
Teve as seguintes premiações em festivais de teatro: Erêndira, no Art in Vento, melhor atriz e espetáculo (2008); Álbum de Família, no 15° FESTIVALE, melhor atriz e espetáculo (2008); Álbum de Família, no Festcarbo, melhor atriz e espetáculo pelo jure popular (2008); Na Carne, no 14° FERTAI, melhor atriz e espetáculo (2007); Na Carne, no 5° Festival de Teatro de Uruguaiana, melhor atriz e espetáculo (2007); Godot, no 13º FERTAI, melhor atriz, direção e espetáculo (2006); Godot, no XIII Festivale, melhor atriz, direção e espetáculo (2006); Macabéa, no XIII Festivale, melhor atriz, direção e indicação de melhor espetáculo (2006). Em curta metragem – Dolores – 5° Santa Maria Vídeo e Cinema (2006). Em projetos: Erêndira, Treze – O Palco da Cultura– pela prefeitura de Santa Maria, RS (2008); Álbum de Família –Treze – O Palco da Cultura – pela prefeitura de Santa Maria, RS (2008); O Avião Vermelho, Escolinha da Gabi – Prefeitura de Santa Maria, RS (2008), participação como atriz; Não Conte a Ninguém, Treze – O Palco da Cultura – pela prefeitura de Santa Maria, RS (2007);
Atualmente é fundadora e integrante do NPT Santa Víscera, onde atua como atriz, diretora e pesquisadora teatral.


Graciane Borges Pires
Bacharel em Interpretação Teatral pela Universidade Federal de Santa Maria. Iniciou sua trajetória no teatro em 2002, no Grupo Presença, sob direção de Freire Jr., na cidade de Santa Maria, RS, onde atuou nos espetáculos “Um homem chamado Drummond” com colagens de textos de Carlos Drummond de Andrade, e “A casa de Bernarda Alba”, de Frederico García Lorca. Em 2003, ingressa no Curso de Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Maria. Em 2004, atuou nos espetáculos “Um rapaz apressado”, texto de Eugène Labiche, no qual utilizou-se os Princípios Cômicos de H. Bérgson e “Fando e Lis”, texto de Fernando Arrabal. Em 2005, integra o Grupo de Pesquisa em Teatro “Vagabundos do Infinito”, onde atuou como atriz e pesquisadora, aprimorando sua pesquisa pessoal a partir do “trabalho do ator sobre si mesmo”, de K. Stanislavski (Método das Ações Físicas – 2º Fase) tendo como base a pesquisa norteadora do referido grupo que buscava uma relação entre algumas técnicas xamânicas de Carlos Castaneda e o trabalho do ator sobre si mesmo, pesquisa de doutoramento do Profº Paulo Márcio Pereira. A partir desta pesquisa pessoal, desenvolveu, em 2006, o monólogo “Sempre aquela velha história...”, baseado no texto “Temos todas a mesma história”, de Dario Fo e Franca Rame, bem como sua atuação nos espetáculos
“Noites em claro” e “Vida Acordada”, do referido Grupo.
Ainda como atriz, participou em 2008, da Trupe Pólvora de Teatro, conquistando o prêmio de Melhor Atriz no XV FESTIVALE, na cidade de Rolante, RS,
pelo espetáculo “Álbum de Família”, de Nelson Rodrigues.
Como diretora teatral, escolheu como base principal de pesquisa a condução do trabalho do ator e do estudo do texto a partir do Método de Análise Ativa de K. Stanislavski. Em 2005, dirigiu, dentro do Curso de Artes Cênicas da UFSM, “O Desenlace”, baseado nas últimas cenas do texto Romeo e Julieta, de Shakespeare; e “Problemas no Trabalho”, esquete com texto de Harold Pinter, criada a partir da pesquisa
“A desconstrução do significado do objeto a partir da ação do ator”.
Atuou por um ano no Grupo Fábrica de Teatro, dirigindo o espetáculo “O Urso”, de Anton Tchécov, premiado como Melhor Espetáculo e Melhor Direção em diversos festivais de teatro no estado do Rio Grande do Sul, entre eles,
o Prêmio de Melhor Direção Estadual 2006, em Erechim, RS.
Dirigiu em parceria de Chico Fleig, o vídeo-clip “Buraco no Peito”, do músico regionalista gaúcho Pirisca Grecco, como exercício final da Disciplina de Concepção e Realização em Vídeo, da UFSM.
Como arte educadora, atuou no ano de 2007, no Projeto Esporte e Lazer da Cidade, convênio do Ministério do Esporte com a Prefeitura Municipal da cidade de Santa Maria, RS, no qual ministrou aulas de teatro para crianças e adolescentes de comunidades periféricas do município.
É fundadora e integrante do NPT Santa Víscera, onde atua como atriz, diretora e pesquisadora teatral.
Marco Antonio Barreto
Bacharel em Comunicação Social – Habilitação em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal de Santa Maria/RS.
Iniciou como ator participando de esquetes teatrais, na cidade de Santa Maria, tais como “Ana Terra”, adaptação teatral da obra de Érico Veríssimo e “Primeiro Beijo e Outros Contos”, adaptação da obra de Clarice Lispector, pelo Grupo In Cena (2000).
Entre 2003 e 2005, estagiou no Grupo Presença, de Freire Jr., como assistente técnico de ensaio.
Em 2005, iniciou seu trabalho de pesquisa em teatro com acadêmicos do Curso de Artes Cênicas da UFSM. Como ator, participou de “O Desenlace”, peça teatral baseada nas últimas cenas de “Romeo de Julieta”, (2005); “Problemas no Trabalho”, esquete teatral com texto de Harold Pinter, (2005); “A Poção”, esquete teatral, texto de John Collier, (2005); Dilema, esquete teatral, baseada no conto “O Dilema” de Nelson Rodrigues, (2007).
Foi membro fundador e ator do Grupo Fábrica de Teatro, onde atuou no espetáculo “O Urso”, texto de Anton Tchékov. Por este trabalho, foi indicado ao Prêmio de Melhor Ator no XIII FESTIVALE, em Rolante/RS (2006); vencedor do Prêmio de Melhor Ator no Festival Estadual de Teatro – Etapa Regional, na cidade de Canguçu/RS (2006) e indicado ao Prêmio de Melhor Ator no Festival Estadual de Teatro – Etapa Final, na cidade de Erechim/RS (2006).
Em 2007, foi convidado para integrar o Grupo de Pesquisa em Teatro Vagabundos do Infinito da UFSM, participando do espetáculo “Vida Acordada”,
baseado no filme “Waking Life” de Richard Linklater.
Em 2008, integrou a Trupe Pólvora de Teatro, onde atuou no espetáculo “Álbum de Família”, texto de Nelson Rodrigues, e “Na Carne”, adaptação do texto “Navalha na Carne”, de Plínio Marcos. Pelo espetáculo “Álbum de Família”, foi indicado ao Prêmio de Melhor Ator no XV FESTIVALE, em Rolante/RS (2008); vencedor do Prêmio de Melhor Ator no Festival FESTCARBO na cidade de Arroio dos Ratos/RS (2008) e do Prêmio de Melhor Ator no Festival FEST IN VENTO, na cidade de Osório/RS (2008).
Em cinema e vídeo, atuou como ator nos curtas – metragens “Capodano”, dirigido por Miguel Rodrigues; “5 Vidas”, dirigido por Newton Culau (2002); “O Gato” dirigido por Cleber Rafael Campos (2006); “O que os olhos não vêem...”, dirigido por Fernanda Couto, (2007); “Todas as quartas”, dirigido por Melina Guterres (2007);
e do vídeo – clipe “Buraco no Peito” de Pirisca Grecco, direção de Graciane Pires (2005).
Participou de cursos e eventos, nos quais se destacam: Workshop de Interpretação Para Cinema e TV, ministrado por Fábio Barreto (2000); Curso de Teatro – Iniciação, ministrado por Clênio Faccin (2001); Mini-Curso de Cinema e Representações Sociais, ministrado por Rogério Koff (2003); Oficina de Interpretação Para Cinema e Vídeo, ministrada pelo ator Flávio Bauraqui (2007); Oficina de Interpretação A Dramaturgia do Ator no Trabalho Sobre Si Mesmo, ministrada por Andréa Juliá e Horacio Medrano (2007); Oficina Permanente de Teatro: Módulos I e II ministrado por Lara de Bittencourt (2007 – 2008).
Em 2008, direcionou sua pesquisa de Graduação no Curso de Comunicação Social para a área teatral, desenvolvendo a pesquisa “Entremeio: a importância da linguagem corporal no teatro antropológico”, investigando a obra de diretores teatrais como Eugênio Barba, Jerzy Grotowski e Peter Brook, bem como autores da área da comunicação social como Adair Caetano Peruzzolo, Harry Pross, Norval Baitello Júnior e Christiane Greiner. Atualmente é um dos fundadores e integrantes do Núcleo de Pesquisa Teatral Santa Víscera, participando como ator e pesquisador.

2 comentários :

' αliиε ' disse...

Adorei o Blog e a proposta de divulgar o trabalho de vocês!
Virei seguidora, para estar a par das novidades!

Leonardo disse...

Olá,

É o Leonardo Branco novamente... achei o cv de vocês aqui...

Mantenham contato.

Abraços,

Leo
8633-7820
leonardo.branco@prodigo.com.br